14 de junho de 2016

Governo oficializa aumento de até 13,57% nos preços dos planos de saúde

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) oficializou, no Diário Oficial da União desta segunda-feira (6), o aumento de até 13,57% nos preços dos planos de saúde médico-hospitalares individuais e familiares até abril de 2017.

O reajuste deve ser repassado pelas operadoras somente a partir da data de aniversário dos contratos e tem de ser igual ou inferior ao teto estabelecido pela ANS. 

O porcentual é valido para os planos de saúde contratados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98. Segundo a agência, o reajuste atinge cerca de 8,3 milhões de clientes, o que significa 17% do total de 48,5 milhões de consumidores de planos de assistência médica no Brasil, de acordo com dados de abril deste ano.

A associação de consumidores Proteste afirmou, em nota, que o aumento nos preços de planos de saúde vai "pesar no orçamento por conta da crise financeira e desemprego em alta". Já a Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge) contestou o limite de reajuste dos planos por considerá-lo baixo.

Cobrança 

A ANS informa ainda que, nos contratos com aniversário em maio ou junho, será permitida cobrança retroativa. "Nesses casos, as mensalidades de julho e agosto (se o aniversário do contrato for em maio) ou apenas de julho (se o aniversário do contrato for em junho) serão acrescidas dos valores referentes à cobrança retroativa", esclareceu a agência.

"Para os contratos com aniversário entre os meses de julho de 2016 e abril de 2017 não poderá haver cobrança retroativa."

A metodologia utilizada pela ANS para calcular o índice máximo de reajuste anual dos planos individuais e familiares, estabelecida em 2001, leva em consideração a média dos porcentuais de reajuste aplicados pelas operadoras aos contratos de planos coletivos com mais de 30 beneficiários.

Fonte: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/06/06/governo-oficializa-aumento-de-ate-1357-nos-precos-dos-planos-de-saude.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário