1 de novembro de 2016

Pare de dar dinheiro para o banco e fique por dentro dos seus direitos

Antigamente, a cada vez que a pessoa consultava o saldo tinha um valor diferente e o pior, sempre era para menos. Isso porque os bancos não perdiam a oportunidade de cobrar por uma operação. Praticamente tudo era tarifado e mesmo que alguns valores não passassem de centavos, no fim do mês, fazia diferença.
 A partir de 2008, as coisas começaram a melhorar para o lado do consumidor com algumas medidas lançadas pelo Banco Central. Atualmente, existe uma lista de serviços essenciais que não podem ser cobrados e com isso é possível não gastar absolutamente nada por mês com sua conta corrente.
Conheça seus direitos
Veja os serviços gratuitos que você tem direito todos os meses e avalie suas operações, talvez você esteja tendo um gasto desnecessário com taxa de manutenção. São esses:
 - Quatro saques;
- Duas transferências de recursos entre contas na própria instituição;
- Dois extratos contendo a movimentação dos últimos 30 dias;
- Extrato consolidado discriminando, mês a mês, os valores cobrados relativos a tarifas;
- Realização de consultas pela internet;
- Até dez folhas de cheques, desde que esteja apto a este serviço;
- Compensação de cheques;
- 2ª via de cartão, exceto em casos de perda, roubo ou danos.
A regulamentação estabelece também que a realização de saques em terminais de autoatendimento em intervalo de até 30 minutos é considerada como um único evento.
Mas, se sua movimentação bancária é maior, fizemos uma lista das operações mais comuns e quais são suas tarifas individuais no Banco do Brasil, Bradesco, na Caixa Econômica Federal, no Itaú-Unibanco e Santander, que juntos concentram pelo menos 80% do sistema bancário brasileiro, segundo o Banco Central. Assim, você poderá avaliar se vale à pena pagar de forma avulsa quando ultrapassar os limites dos serviços essenciais ou se é melhor fechar um pacote especial com o banco, lembrando que neste último caso os valores podem mudar dos apresentados abaixo.
Saque            
Itaú-Unibanco – até R$ 2,00
Caixa – até R$ 2,20
Bradesco – até R$ 2,35
Banco do Brasil – até R$ 2,40
Santander – até R$ 2,40

2ª via de cartão
Bradesco – R$ 7,20
Caixa – R$ 7,90
Santander – R$ 7,90
Itaú-Unibanco – até R$ 8,00
Banco do Brasil – R$ 8,50

Folha de cheque
Bradesco – R$ 1,40
Caixa – R$ 1,40
Banco do Brasil – R$ 1,45
Itaú-Unibanco – R$ 1,45
Santander – R$ 1,60

Extrato dos últimos 30 dias
Itaú-Unibanco – até R$ 2,25
Caixa – até R$ 2,70
Bradesco – até R$ 2,75
Banco do Brasil – até R$ 2,80
Santander – até R$ 3,00

Transferência via DOC ou TED    
Itaú-Unibanco – R$ 7,80 (eletrônico) - R$ 13,50 (pessoal)
Caixa – R$ 7,85 (eletrônico) - R$ 14,70 (pessoal)
Banco do Brasil – R$ 8,60 (eletrônico) - R$ 17,00 (pessoal)
Bradesco – R$ 8,80 (eletrônico) - R$ 16,30 (pessoal)
Santander – R$ 8,80 (eletrônico) - R$ 16,30 (pessoal)

Transferência entre contas na própria instituição
Caixa – até R$ 1,15
Bradesco – até R$ 1,25
Banco do Brasil – até R$ 1,30
Itaú-Unibanco – até R$ 1,30
Santander – até R$ 1,30
Texto: Daiane Brito
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Fonte: https://br.financas.yahoo.com/noticias/pare-de-dar-dinheiro-para-o-banco-e-fique-por-170422258.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário